Voltar

23/09/2014

Sou da Paz discute o futuro da redução da violência global em Cambridge

Nos dias 18 e 19 de setembro, o Instituto Sou da Paz participou no Reino Unido da “Global Violence Reduction Conference 2014”, co-organizada pela Organização Mundial da Saúde e o King’s College da Universidade de Cambridge. O encontro reuniu acadêmicos, especialistas e gestores do mundo todo para desenhar possíveis estratégias na redução da violência global em 50% nos próximos trinta anos.

Além de táticas para prevenção com crianças e jovens, policiamento cidadão inteligente, controle de armas eficiente, restrições ao abuso de álcool e drogas, e uma justiça criminal mais humana, a conferência focou na necessidade de conhecimento científico e de efeitos comprovados como essenciais para nortear qualquer política pública de segurança.

Entre os diversos casos de sucesso nas últimas décadas que pautaram os debates, o chamado “milagre de São Paulo” na redução de homicídios  obteve destaque, mostrando-se um caso que a comunidade internacional busca mais informações e análise de qualidade para compreender e, se possível, influenciar medidas em outros locais.

Segundo o analista sênior do Sou da Paz, Daniel Mack, que representou o Instituto , chamou a atenção o nível de ambição da conferência como, paradoxalmente, o realismo das propostas se as necessárias decisões políticas forem tomadas nas regiões mais violentas do mundo.

 “Como o país mais violento do mundo em termos absolutos – com mais de 50 mil homicídios anuais – o Brasil deverá ser central para a realização da diminuição global pretendida, com a necessidade inegável de um plano nacional de redução de homicídios”, comenta Mack. “Assim como em qualquer grande cidade, em que os chamados ‘hot spots’ da violência são extremamente localizados, a violência global também tem focos conhecidos, com concentração nas grandes metrópoles, especialmente da América Latina e Caribe, e que, portanto, precisam ocupar posição central para a estratégia que se vai construir”, conclui.

Confira a repercussão da conferência no O Globo:

"Taxas de homicídio mundiais podem cair à metade em 30 anos" (matéria veiculada em 17/09/2014)